Compre meus livros nas Lojas abaixo:
 
Vídeos sobre Acupuntura
 
Meus Livros já Lançados

Livros para Recuperação de Dependentes Químicos



 
 • Psoríase (Obs.): Importante salientar que Psoriase é uma doença contagiosa através do sangue contaminado e agulhas infectadas;

 • Hepatite
 • Vitiligo
 • Coluna Vertebral
 • Depressão
 • Alcoolismo
 • Dependencia Quimica
 • AVC (Acidente Vascular Cerebral)
 • Fisioterapia
 • Obesidade
 • LER (Lesão por Esforço Repetitivo)
 • Tendinite

 entre outros problemas de Saúde.

 Faça uma avaliação em Medicina Tradicional Chinesa
 
 
 
 
 
 
 
Apresentadora Ana Beatriz Gatto e Dr. Augusto Campos
 
Convidamos o Dr. Augusto Campos, doutor em medicina tradicional chinesa e autor dos livros Ventosaterapia – O resgate da arte da longevidade; e Massagens Emocionais – Massoterapia Emocional. Vamos conhecer a Ventosaterapia – técnica Milenar chinesa e Ozonioterapia.

VENTOSATERAPIA

O uso de ventosas no Oriente foi desenvolvido com base na acupunctura, a aplicação de ventosas foi originalmente, conhecida como Método Chifre. Os chifres dos animais eram aquecidos, criando-se um vácuo quando eram colocados sobre a pele. O propósito era tratar doenças e retirar o pus. 

O Método Chifre foi posteriormente substituído por outros métodos de sucção desenvolvidos, em que se obtinha o efeito de ventosa utilizando-se cúpulas de bambu, metal e vidro. A sucção é obtida atualmente, colocando-se uma substância cadente na ventosa antes de coloca-la sobre a pele, aquecendo-a com água quente, ou com o bombeamento do ar para fora, uma vez posicionada na pele.
 
 
A ventosa segundo a MTC tem a propriedade de limpar o sangue das toxinas acumuladas no organismo produzida pelos alimentos e outras fontes poluentes. A estagnação do sangue, escuro e sujo, nos músculos das costas ou das articulações é considerado pelas Medicinas Orientais como um dos elementos causadores de doenças. A ventosa é usada para o alívio de dores musculares, melhorar o sistema circulatório e até mesmo, para redução de celulite e gordura localizada, lombalgias, dor abdominal, hipertensão arterial e muitas outras patologias.

As ventosas podem ser utilizadas em associação com outras terapias reforçando a sua efetividade. Várias ventosas podem ser utilizadas para tratar desordens sobre uma área mais ampla, por exemplo, ao longo de um estiramento muscular ou dispostas em fileiras horizontais e verticais sobre um órgão doente tendo-se o cuidado de não se deixar as ventosas muito próximas umas das outras.

A aplicação de ventosas é contra-indicada para casos de febre-alta, convulsões ou cólicas, alergias na pele ou inflamações ulceradas, áreas onde o músculo é fino ou a pele não é plana por causa dos ângulos e depressões ósseas, no abdómen e região lombar em gestantes. Algumas outras considerações a ter no uso das ventosas é que estas devem ser deixadas somente até haver congestão local (geralmente 5 a 15 minutos). Se forem mantidas por muito tempo pode-se formar uma bolha, se esta for grande deve ser furada para drenar o líquido, e seguidamente deve ser coberta para evitar infecção.

A aplicação das ventosas deixa frequentemente uma marca púrpura na pele aonde esta foi sugada, isto é normal e vai desaparecer sem tratamento especial. Se a marca for muito profunda, as ventosas não devem ser colocadas de novo nesse local enquanto subsistir a marca.
 
OZONIOTERAPIA
 
 
A ozonioterapia utiliza o ozônio como agente terapêutico no tratamento de diversas patologias. Seu emprego melhora a circulação sanguínea, reduz o colesterol, ajuda na cicatrização de feridas, na oxidação de toxinas e no tratamento da dor crônica.

O ozônio – obtido da união de três átomos de oxigênio – é o gás que protege o planeta Terra dos raios ultravioleta emitidos pelo sol.

Ao reagir com os tecidos corporais, o ozônio forma substâncias que estimulam todo o sistema antioxidante e promovem uma grande liberação de oxigênio para as células. O gás também tem efeitos analgésico e anti-inflamatório que aceleram a cicatrização de lesões.

Na dor crônica, o ozônio é utilizado com bons resultados no tratamento de dores causadas por hérnias de disco, inflamações crônicas, neuralgias, fibromialgia, entre outras enfermidades.

Embora empregada há alguns anos, só agora a ozonioterapia vem conquistando espaço na medicina convencional. Atualmente cerca de dez mil médicos europeus utilizam esse recurso no tratamento dos pacientes. Diversas universidades europeias, bem como a de Cuba e a da China, começaram a investigar os efeitos do ozônio no organismo, promovendo pesquisas controladas sobre a eficácia do método.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o médico alemão Christian Friedrich Schonbein difundiu o ozônio no tratamento de feridas em soldados.No Brasil a prática não é recente. Iniciou-se em 1975 e passou a ter mais adeptos durante a década de 1980, quando começou a atrair o interesse de algumas universidades.

 
 
 
 
 
Dr. Augusto Campos - Medicina Tradicional Chinesa
Copyright 2009/2013 © - Todos os Direitos Reservados